De mochileira a criadora de uma mochila!

Historiaviagem.jpgNão sei explicar se minha vontade de viajar começou ainda pequena quando eu viajava com os meus pais e não parava de perguntar “já chegamos?”, ou se começou quando embarquei em um avião pela primeira vez aos 15 anos para a Serra Gaúcha. O fato é que a viagem mais marcante da minha vida foi quando eu saí do país pela primeira vez, sozinha, por conta e risco, com todo o dinheiro que eu tinha (e não tinha). Já fazia um tempo que eu estudava sobre o Canadá e na época eu estava terminando o curso de inglês e decidi usar todo meu dinheiro e ir me tornar fluente em inglês lá.

Demorei um mês pra bater o martelo na decisão final de escola e valores, mas finalmente resolvi ir conhecer Vancouver, a segunda Hollywood da América do Norte! O Canadá sem dúvidas foi a viagem da minha vida. Foi quando eu abri a cabeça para outras culturas, aprendi a me virar sozinha e provei para minha família que eu já sabia andar com as minhas pernas. Na época eu tinha 21 anos e passei um mês (aproveitando as férias da faculdade) estudando inglês e morando em casa de família.

Nesta viagem aprendi 11 coisas que mudaram minha vida: Planejar uma viagem por minha conta, arrumar malas, ser precavida, aprender a arte de (não) conseguir dormir em avião, viver com uma host family, aprender a me locomover em um lugar estranho sozinha, me assustar com a segurança do país e com a cordialidade dos canadenses, aprender a apreciar as delícias e horrores da gastronomia, que dinheiro não nasce em árvore e por fim, conhecer novas culturas e aprender a respeitá-las.

Foi só um mês, mas o suficiente para o “travel bug” me picar. Desde então, já ficava imaginando o próximo destino…

No mesmo ano que tinha feito a viagem (2012), uma amiga que havia feito intercâmbio para a França me convidou para fundar um grupo de alunos da faculdade que seriam buddies de alunos internacionais que viriam estudar em Curitiba e assim começamos a ter contato com gente do mundo todo e viver intercâmbios sem sair de casa. Conheci gente de todos os lados do mundo e comecei a viajar com eles durante as atividades que organizávamos.  Foi junto com o grupo de intercâmbistas que me hospedei em um hostel pela primeira vez!

Em  2013 consegui uma bolsa de estudos para ir para o México fazer matérias da faculdade (Design de Produto) e, em 2014 embarquei para viver um semestre fora do Brasil. Como já tinha amigos mexicanos  que tinham vindo estudar em Curitiba, tive muita ajuda para entender o país, o idioma, para conseguir moradia e etc.. Ter contato com os locais é essencial quando você cai de paraquedas em um lugar que você não conhece.

historialeitora

Durante a estadia, além de estudar, aproveitei para viajar. A maioria das vezes fui com amigos mas também encarei ônibus sozinha para conhecer todos os lugares que eu queria. O México, ao contrário do que os filmes mostram, é bem tranquilo para viajar sozinha. E os mexicanos que você conhecer provavelmente vão se tornar grandes amigos que você vai levar para o resto da sua vida!

Eu me encantei pelo lugar, hoje digo que meu coração é metade mexicano. Lá eu vivi experiências que jamais viveria se estivesse em casa, conheci gente que está no meu coração e que morro de saudades, aprendi outro idioma, vi umas das paisagens mais lindas da minha vida (Tulum, mi amor), e conheci um dos lugares com mais cultura por metro quadrado! E lógico, adicionei mais umas milhas na conta para gastar depois e ganhei mais uns carimbos no passaporte!

Depois que voltei, continuei a saga das viagens, mas mais perto, para conhecer mais o Brasil. Fui para Foz do Iguaçu,  andei de trem até Morretes, fui para o Rio de Janeiro no carnaval (que experiência…), Ilha do Campeche em Florianópolis , turistar pela milésima vez em São Paulo, quarto ano seguido na Oktoberfest em Blumenau… Por aí vai!

alinequalquerlatitude

Durante esse período, eu estava no último ano da graduação, e tínhamos que achar um tema que nos inspirasse para desenvolver o projeto. Eu não tive dúvidas que tinha que ser com viagem. Assim surgiu a minha mochila modular para viajantes. Meu projeto foi um sucesso. Desde então comecei a desenvolver modelo de negócio, estudar sobre empreendedorismo e marketing e tudo o que é necessário saber sobre empresas. Assim surgiu a Loogage minha própria linha de mochilas!

mochiladeviagem

coluna-especial

Siga Aline nas redes sociais @loogage no Instagram e Loogage no facebook

Quer ver a sua história de viagem aqui no Qualquer Latitude? Mande um e-mail contando a sua histórias para contato@qualquerlatitude.com




2 thoughts on “De mochileira a criadora de uma mochila!

  1. Oi amore, quantos lugares maravilhosos que você conheceu! Quem dera eu rs… Adoro pessos viajadas, sempre tem histórias interessantes pra contar. Obrigada por nos contar sua experiência!

    Beijos

Deixe uma resposta