Segredos da Ilha do Mel

Segredos da ilha do mel.jpgLatitude: 25°34’13.98″S

A Ilha do Mel é cheia de mitos e segredos e uma das principais lendas é sobre um lugar muito perto da pousada Orquídeas onde passamos o fim de semana: o segredo da Gruta de Encantadas! Segundo a lenda, há muitos e muitos anos, a praia de Encantadas era dominada por deusas-sereias. Como qualquer outras sereias, seduziam os pescadores e os atraíam para as pedras onde seus barcos naufragavam. As sereias eram filhas de Acauã e Jurema, dois índios de tribos inimigas que tiveram um romance escondido e amaldiçoado. A tradição diz que, quando as famílias descobriram o casamento secreto, amaldiçoaram as filhas do casal, que seriam muito belas, porém seriam sereias e jamais poderiam se casar. Acauã e Jurema, desesperados, rezaram durante semanas pela piedade de Tupã. Não conseguiram quebrar a maldição, mas ganharam a Ilha do Mel para esconder suas filhas sereias.

DSC_0477

Por vários anos elas foram o terror dos marinheiros, até que um dia um índio resolveu ir espiar as belas sereias. Ao ouvir o canto acabou sendo atraído para dentro da gruta. Lá encontrou o amor da sua vida, uma sereia de longos cabelos de alga e olhos cor de esmeralda. Para ficarem juntos ele precisava morrer e ir com ela para o fundo do mar. Apaixonado, resolveu mergulhar com ela. Eles foram para algum lugar distante e nunca mais, nem o índio nem as sereias, foram vistos na Ilha do Mel.

Quem contava essa lenda, e que acabou criando outra, era um morador da ilha conhecido como vô Lavínio. Ele teria tido um romance com uma das sereias, porém para viver aquela história de amor, teve que jurar mantê-la em segredo. A sereia o presenteou com diamantes, como prova de seu amor. Um dia, de tanto perguntarem sobre seus misteriosos sumiços, ele acabou contando sua história e, como prova de que era real, resolveu mostrar os diamantes. Como traiu a confiança da sereia, os diamantes se transformaram em pedras de carvão e ele nunca mais a viu.

DSC_0490.jpg

Mas não são só sereias que povoam as histórias da Ilha do Mel. Há também piratas! Uma das histórias é da época da Inquisição e começa lá na Europa. A lenda fala sobre um cigano que teve seu acampamento incendiado pela Inquisição. Com medo, fugiu e se escondeu dentro de um navio inglês. Na metade do caminho, a bandeira deixou de ser a da Inglaterra e passou a ser a bandeira pirata, o menino foi descoberto e transformado em escravo. Revoltado, resolveu usar seus conhecimentos ciganos e amaldiçoou o navio. Cada dia um novo pirata morria até que só sobraram os que eram amigos do cigano. No meio desta confusão acabaram saindo da rota e chegando à Ilha do Mel. Encantados com a beleza do lugar, resolveram não voltar mais para a Europa. Com o passar dos anos os piratas começaram a morrer e o cigano criou um cemitério secreto para enterrar seus amigos. Para garantir o segredo do local, usou uma magia cigana que fazia com  que o cemitério só aparecesse em noites de lua cheia. Vários visitantes já foram tentar encontrar o lugar, alguns dizem ter achado o cemitério perdido na mata e outros afirmam até ter visto piratas os seguindo, enquanto vagavam pelo lugar.

Essas são algumas histórias que cercam a ilha, mas conversando com os moradores dá para descobrir várias outras lendas que mostram a magia do lugar!

5 thoughts on “Segredos da Ilha do Mel

  1. Legal, vou até contar a história que aconteceu com meu pai. Um dia ele e seus amigos foram na Ilha do Mel, pescar caranguejo ou peixe sei la, aí lá o dono da casa pra alugar pra passar a noite falou que existe história de fantasmas nessa ilha, meu pai que não gosta de falar disso disse pra ele ficar quieto. Até aí tudo bem, mas ao chegar da noite meu pai e seu amigos foram dormir, só que um desses amigos o Nenê não foi, meu pai perguntou por que ele não queria dormir e o Nenê respondeu “eu quero ver os fantasmas” meu pai ficou meio bravo, pois com isso não se mexe, e tentou convence lo a ir dormir só que o Nenê não quis ir. Tá, meu pai foi dormir enquanto o Nenê mexia a caipirinha lá fora (só que detalhe ele não chegou a tomar a caipirinha, pois a caipirinha antes era mexida manualmente e por isso dava pra ouvir o barulho dele mexendo a caipirinha, se ele tivesse parado de mexer pra beber, o som ia parar). Ta, enquanto o Nenê mexia a caipirinha, por algum motivo ele olhou pra trás nisso ele viu o fantasma de uma mulher com uma menina, o Nenê ficou assustado, mas não parou de mexer a caipirinha, ele olhou de novo para ver se não era imaginação e não era, pois o fantasma da mulher e da garota ainda tava lá. Nisso ele parou de mexer a caipirinha saiu correndo, escorregou, bateu na porta do lugar onde meu pai e seus amigos dormiam, ficou gritando para eles abrirem e meu pai abriu a porta, nisso tudo o Nenê contou o que viu e meu pai disse ” viu olha no que dar querer ver essas coisas, se visse algo pior arrebentava a porta”, aí meu pai teve que ir apagar a luz que o Nenê quando saiu correndo lá fora esqueceu a luz acessa e meu pai teve que ir apagar, só que meu pai não viu nada lá fora. Eles dormiram depois disso e no meio da noite ouviram um barulho lá fora, todo mundo com medo acendeu a lanterna, o barulho que ouviram era de uma folha de árvore caindo (sério, o silêncio era tanto que deu pra ouvir o barulho de uma folha planando no ar) nem vento tinha, eles foram lá fora ver e adivinha, na folha tinha o desenho da garota e da mulher que o Nenê havia visto, depois disso até o dono da casa pra alugar foi dormir com eles de medo. No outro dia o Nenê não saia de perto de ninguém pra nada.

    1. Nossa que história maluca!! A ilha do mel é um lugar bem místico mesmo! Mas acho que estas histórias fazem parte dos encantos da região!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *