Morando em Pádua

Pádua ou melhor, Padova como se diz em italiano foi a minha casa por 5 meses. Pude ter a oportunidade de conhecer essa cidade linda o descobrir as coisas que os locais fazem por lá.

A cidade é conhecida pela Universidade que foi a primeira a ter uma estudante mulher, a qual Galileu Galilei deu aula e a primeira a ter um laboratório de anatomia. Também é muito conhecida por ser a cidade de Santo Antônio.

Apesar de bem pequena, é muito bem localizada – situada a 40 minutos de Veneza, e é cheia de encantos arquitetônicos!



Cheia de intercambistas, a cidade é multicultural e por causa disso eu consegui passar esse tempo sem precisar falar Italiano pois em quase todos os locais as pessoas falavam Inglês.

Pádua
Centro da cidade

Como é a rotina dos Padovanos e dos estudantes: todos possuem bicicleta, visto que a cidade possui diversas ruas no centro que não pode passar de carro ou de ônibus – apenas os moradores. Os ônibus precisam dar voltas enormes para chegar nos lugares próximos, o tram – metrô de superfície, só possui uma linha que corta a cidade em uma única reta. Ambos param de funcionar em um certo horário e por isso se torna inviável de se locomover. Por isso, as bicicletas são as melhores opções! Não há ciclofaixa em todas as ruas, mas os carros já sabem como funciona mesmo sem a faixa e a cidade está cheia de estacionamentos de bicicleta.

As pessoas fazem tudo de bicicleta, desde compras grandes no mercado, ir para a balada e até levar os filhos de carona para a escola.

Piazza dei Signori

Mesmo no inverno as pessoas saiam para curtir os bares e andar na rua, mesmo com neve passeavam no centro da cidade. Já no verão a cidade ficava cheia de pessoas curtindo os diversos ambientes. Os bares cheios, com mesas nas ruas, famílias, idosos, jovens e crianças aproveitando no mesmo lugar e um fato curioso é que é muito comum os jovens se encontrarem para beber nas escadarias da praça – todos marcam de se encontrarem por lá.

A maior praça da cidade ficava cheia nos dias de sol, pois as pessoas aproveitavam para relaxar, tomar sol, fazer picnic e ficar com os amigos por lá.

Quarta-feira é considerado o dia para sair. Algo que me surpreendeu muito, todos os jovens saem a noite para curtir os bares e baladas, como se fosse Sexta-feira, mas continuam na rotina no dia seguinte, indo para a aula ou trabalho.

La Specola

Por ser localizada no Norte da Itália, a cultura deles é mais parecida com o que ouvimos falar da Europa de modo geral e não da Itália. Eles falam baixo – até me falaram uma vez que eu estava falando alto demais!! Eles não usam as maos para fazer gestos enquanto se comunicam e eles se sentem muito mal quando comparados ao Sul.

Em outros post vou contar dicas de lugares para conhecer, pontos turísticos, comidas típicas, entre outros! Fique de olho aqui no blog caso se interesse por Padova ou pela Itália!

 

Priscila Conte é curitibana, tem 22 anos, é estudante de Psicologia e escreve para o Qualquer Latitude como colunista.

Instagram: @prii.conte



 

 

Se você gostou deste post sobre Pádua leia também:

Universidade na Europa

Conhecendo a Toscana

Um dia em Milão

Intercâmbio Universitário



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *