Diário de uma Quick Service- A Seleção

Quick Service O Disney College Program, programa de intercâmbio e trabalho da Disney, é um sonho pelo qual eu batalhei e não desisti no primeiro não! Meu nome é Marcela, tenho 20 anos e faço engenharia de alimentos e hoje sou eu que venho contar um pouquinho sobre o meu processo de seleção do College Program, onde fui Quick Service Food & Beverage.

Tentei o processo em 2016 e fiquei de stand-by (lista de espera) e fiquei um pouco decepcionada. Ainda assim tentei mais uma vez participar do Disney College Program em em 2017 tentei o ICP sem altas expectativas e acho que isso acabou me ajudando muito em todo o processo. Fiz a primeira entrevista respondendo basicamente as mesmas perguntas que me fizeram em 2016: “O que você cursa?”, “O que você acha que a Disney vai agregar na sua profissão?”, “Porque você acha que você é qualificado para trabalhar na Disney?”, etc porém, desta vez,  tentei fugir bastante do clichê comparado ao ano interior e acho que isso me ajudou. Eu fiquei esperando o momento da entrevista que a entrevistadora iria me perguntar porque eu queria trabalhar na Disney mas este momento nunca chegou. No final quando ela perguntou se a gente queria dizer algo eu aproveitei e comecei a falar sobre o quanto eu queria trabalhar na Disney e sobre a empresa em si. Saí achando que isso não foi uma boa decisão, mas acho que no final das contas foi bom, né! A diferença essencial entre minha entrevista de 2016 e 2017, foi que em 2016 eu fui muito mais “sonhadora”/clichê e em 2017 eu fui muito mais profissional, mas também não deixei de mostrar o quanto eu queria aquilo.

Tentei não criar muitas expectativas. No dia que saiu o resultado da primeira fase eu estava tentando fazer trabalho na biblioteca enquanto dava F5 na página da STB. Finalmente, quando entrei e dizia que tinha ido para a segunda fase, aí sim, parece que o sonho começou a se tornar realidade. Mesmo na correria da faculdade eu comecei a organizar os documentos para a segunda fase e coloquei como preferências de roles Merchandise, Attractions, Character Attendant e Performer.

Chegando lá, fiz a entrevista com a Sue e ela foi super fofa! Ela  é muito sorridente (mas quando olhava no computador ficava séria e eu não sabia se eu tava indo mal ou não) e me fez sentir muito confortável mesmo com o nervosismo. O problema é que ela me fez muitas perguntas que eu não tava preparada para responder. Foi uma entrevista bem profissional, ela me perguntou sobre tudo da minha faculdade, perguntou sobre todas as roles, me deu algumas situações problemas (inclusive a de Merchandise minha primeira opção mas bem nesta parte eu não entendi muito bem a situação 🙁 ) Tentei sorrir o máximo na entrevista e passar o quanto eu queria aquilo. Fiquei muito nervosa no momento em que entrei na sala, o que me atrapalhou um pouquinho, principalmente no inglês – sempre gostei de falar, mas nunca tive feito um intercâmbio pra praticar. Assim como na primeira entrevista, saí de lá dizendo no final que essa eu gostaria de trabalhar pra essa empresa e ela me disse: “I’ll take that as consideration” sorrindo. Foi neste momento que eu criei muita esperança.

Quick Service

Tentei focar na faculdade durante a semana de tensão e espera. Os e-mails começaram a chegar. Primeiro dia: reprovados. Foi aquele nervoso de ficar atualizando o e-mail pra saber se foi reprovado ou não.. (Os e-mails da Disney sempre vem em ondas, e o resultado da segunda fase normalmente vem em 3 dias: reprovados, aprovados, stand-by). Fui dormir feliz achando que não tinha sido reprovada mas com medo de ainda poder chegar um e-mail de reprovação. Esse programa é uma mistura de emoções que só vivendo pra saber. No outro dia, acordei  as 9 da manhã e quando atualizei meu e-mail e o primeiro assunto era: CONGRATULATIONS!

É uma sensação de felicidade,de não acreditar que aquilo é real e de agradecimento. Me emociono só de lembrar. Levantei e comecei a contar sem acreditar para todas as meninas que estavam em casa (moro em uma república com mais 10 meninas) muito feliz! Liguei para o meu pai, fiquei muito feliz do orgulho que ele sentiu de mim. A única coisa que me angustiava é que tentei o processo junto com o meu namorado e ele ainda não tinha recebido o e-mail. Mas foi tudo uma questão de ondas, algumas horas depois ele também recebeu p Congratulations e a minha felicidade ficou ainda maior!

Depois disso eu não conseguia me concentrar em nada. Passei para a primeira data do programa (15/11) e para a role de Quick Service Food & Beverage, mais conhecida como escravos e ricos – o que não me surpreendeu, pois faço engenharia de alimentos, então já sentia que ia cair nesta role. A data do programa me atrapalhou a faculdade, perdi várias provas mas consegui negociar com o coordenador para fazer depois do programa terminar e apesar de corrido valeu a pena e eu faria tudo de novo!

Em 2016 foi uma decepção muito grande pra mim não ter passado no processo. Hoje eu vejo que não poderia ter sido diferente. Passei no programa com meu namorado e fiz amizades maravilhosas! Agradeço cada segundo por cada pessoa que conheci e por tudo o que passei nesse programa.




 

Marcela Rezek

Estudante de Engenharia de Alimentos na USP

Disney College Program Alumni 17/18 – Quick Service Food & Beverage

Instagram: @marcelarezek




Se você gostou do diário de uma Quick Service leia também:

Diário de uma blueberry- A seleção

Diário de uma merchan- O treinamento 

Como funciona o programa de intercâmbio da Disney

2 thoughts on “Diário de uma Quick Service- A Seleção

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *